Acadêmicos
Maria Zélia Réus

 

Maria Zélia Réus
Cadeira: 11
Posição: Fundador

Biografia

 MARIA ZÉLIA RÉUS nasceu em Içara aos 04/12/1951. Filha de Balduíno E. Réus e Tomázia Borges Réus. Com um ano e oito meses foi adotada por seu tios e padrinhos Domício Pedro Brígido e Maria José Brígido. Cursou de primeira a quarta série na Escola Reunida São Rafael; de quinta a oitava série estudou no Colégio Antonio João de Içara (hoje Maria Salete Scott). Cursou a Escola Normal onde formou-se professora em 1970 no Colégio São Bento de Criciúma. Casou-se em 1973 com Valcir José Barni e desta união nasceram 3 filhos: Adriana, Guilherme, Júnior, e 3 netos: Rafael, Júlia e Tiago. Depois de casada cursou Estudos Sociais na UNIFEBE de Brusque onde morou por 14 anos. Não concluiu a Faculdade por motivo de doença, ficando apenas devendo 1 matéria e a monografia. Publicou 2 livros: - “TRANSANDO COM SEUS GRILOS” (que significa aprendendo a lidar com os problemas). - “AMOR EM FORMA DE POESIA” Tem 2 livros de Literatura Infantil prontos para ir para gráfica: - “ MEU PRIMEIRO AMOR” e “NINGUÉM ME AMA”. - Tem ainda: “ A VIDA EM CONTOS” cujo o primeiro conto já está pronto e chama-se “ALMAS GÊMEAS”, baseado em fatos reais e o Autor dá o desfecho final. - “DO JEITINHO DE JESUS” são partes do Evangelho para os 31 dias mo mês. - “PÉROLAS DO ECLESIÁSTICO”, também para os 31 dias do mês. Tem ainda em homenagem a nossa Mãe Maria, que tanto pede em suas aparições a reza do Terço: “O TERÇO E OUTRAS ORAÇÕES QUE CURAM O ESPÍRITO” .

Obras

Namorar... como é bom!



Namorar ... como é bom
(para alguém a quem muito amei, a quem vou amar eternamente).

Os Anjos com certeza lá no céu fizeram festa.
Quando o seu olhar com o meu se cruzou.
E o cupido com uma flecha certeira,
Mirou meu coração, não há dúvida acertou.
Como uma criança eu era tão feliz.
Era só você que eu queria.
E você também muito me amou.

Tudo que dizia era maravilhoso;
Não havia no mundo outro ser tão amado.
Só queria passar minhas horas contigo.
E você parecia também tão apaixonado!
Você era, eu sei posso afirmar com certeza.
O meu amor, minha vida, meu príncipe encantado.

Sonhava com você dividir minha vida.
Seguir por um novo horizonte, uma nova estrada.
Não apenas dois. Um só coração.
Queria ser seu tudo, sua vida, sua amada.
E mesmo velhinhos, ouvir você me dizer.
Você foi, você é e será sempre
minha eterna namorada.



 
Retalhos de um amor



Quando vi pela primeira vez aqueles olhos azuis.
Lindos, brejeiros, cor do céu, cor do mar.
Foi amor, foi paixão, ternura enfim.
Que me fez deixar tudo e em teus braços sonhar.
Só quis que fosse uma vida com a tua.
E com Deus por parceiro,
O mesmo horizonte vislumbrar.

Tive meus sonhos, tu tiveste os teus.
Insisto, foi amor o que no peito pintou.
Diz-me o poeta, que amor que é amor nunca morre.
E eu fico a pensar tentando ver o que sobrou.
Então vejo que foram tantos os momentos.
Tristes, sombrios, alguns também vividos com ardor.

Mostrastes um mundo a mim desconhecido.
Foi contigo o primeiro beijo,
Primeiro amasso, primeiro tesão.
Foste meu amante, amado, meu marido.
E quis muito contigo olhar na mesma direção.
Em algum ponto a gente se perdeu.
O caminho de volta não passou no coração.

Hoje gostaria de ser sua amiga.
Acho que há respeito disso eu posso afirmar.
Peço sempre a Deus que ilumine o teu caminho.
Saibas que comigo podes sempre contar.
Eu te quero bem, te admiro, e te agradeço.
Tudo que fizestes e por me ensinar a lutar.

Um dia como cidadãos do infinito;
Quem para a viagem primeiro embarcar.
Que não esqueça de reservar para o outro.
Um cantinho, um pedacinho do que Deus nos reservar.
E aí sim, viveremos para sempre.
Sem dor, incertezas e sem nunca mais chorar.



 


<< Voltar

 
 

AILA - Academia Içarense de Letras e Artes | Todos os direitos Reservados | Içara - SC